Ultimas Notícias

Governo abre programação do “Abril Verde” em memória às vítimas de acidentes no trabalho



O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), abriu nesta terça-feira (4), na sede da SES, a programação do Abril Verde. O evento, que acontecerá ao longo do mês, é alusivo ao Dia Mundial em Memória às Vítimas de Acidentes e Adoecimento no Trabalho, lembrado em 28 de abril. Estiveram presentes na cerimônia de abertura representantes do Ministério Público do Trabalho, Superintendência Regional do Trabalho, Associação dos Engenheiros de Segurança do Trabalho, Sindicato dos Técnicos de Segurança do Trabalho, Centro de Referência em Saúde do Trabalhador da Paraíba (Cerest-PB), além da secretária de estado da Saúde, Claudia Veras.

Na ocasião, foi lembrado que milhões de brasileiros sofrem acidentes anualmente e outras centenas de milhares morrem no exercício do trabalho. A diretora do Cerest-PB, Celeida Barros, lembrou que existe a subnotificação dos números. “Muitas vezes corremos o risco de achar que houve uma queda nos acidentes e óbitos relacionados ao exercício do trabalho, o que não é verdade. O que existe é uma subnotificação dos acidentes, pois a Previdência só computa dados de quem trabalha formalmente, e sabemos que existe um grande número de pessoas saindo da área formal para a informalidade, devido à situação econômica delicada vivida no país”, explicou.

Celeida lembrou ainda que durante todo o mês serão realizadas nos municípios de João Pessoa, Campina Grande, Patos e Guarabira, diversas atividades relacionadas ao tema, como palestras, rodas de conversa e oferta de serviços de saúde. “Dia 2 estaremos no Espaço Cultural com uma feira de serviços sobre trabalho e cidadania, onde as pessoas podem tirar a carteira de identidade, CPF, cartão do SUS, cadastro único, além dos serviços de saúde, como vacinação e verificação de pressão”, disse.

A secretária de saúde da Paraíba, Claudia Veras, lembrou que o Governo do Estado já vem realizando um trabalho de prevenção às doenças e acidentes de trabalho, por meio do Cerest-PB. Claudia ressaltou também os desafios enfrentados. “Essa atividade de hoje congrega todo o trabalho quem vem sendo desenvolvido pelo Cerest-PB, e todas essas questões, na verdade, já vem sendo trabalhadas pelo governo do estado. Pensamos nas pressões sob o ponto de vista da responsabilidade que temos, o que precisamos produzir, e lembramos que ainda existe um recorte de gênero que precisa ser reconhecido. As mulheres, além da sobrecarga de trabalho, ainda tem uma sobrecarga de trabalho doméstico, recebendo na maioria das vezes um salário menor do que o dos homens, exercendo a mesma função. Que a gente tenha uma visão sobre todos esses pontos”, disse.

A secretária de saúde do Estado falou ainda sobre a importância dos órgãos e empresas terem uma preocupação quanto à saúde do trabalhador. “Devemos mapear a situação sob o ponto de vista do que a gente pode trazer para as empresas, para que possamos cumprir nossa responsabilidade com relação a isso. Que todos possam ter esse olhar de cuidado, cumprindo com as responsabilidades e compromissos que a gente tem na Saúde Publica da Paraíba, logicamente, uma parcela importante é relacionada à saúde do trabalhador”, concluiu Claudia Veras.

Segundo dados da Organização Mundial do Trabalho (OIT), a cada 15 segundos um trabalhador morre por acidente ou doença profissional, chegando à soma de mais de dois milhões seres humanos mortos por ano. Ainda segundo a OIT, cerca de 320 mil pessoas morrem a cada ano em consequência de acidentes no trabalho; 160 milhões de pessoas sofrem de doenças não letais relacionadas ao trabalho; 317 milhões de acidentes laborais não mortais ocorrem a cada ano; a cada 15 segundos, um trabalhador morre de acidente ou doença relacionada ao trabalho; a cada 15 segundos, 115 trabalhadores sofrem um acidente laboral.

De acordo com dados do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), na Paraíba, a cada hora três trabalhadores são afastados de suas atividades por doenças ou acidentes relacionados ao trabalho. Para a procuradora do Ministério Público do Trabalho, Marcela Asfora, deve-se ressaltar a importância da prevenção. “Diante dos milhares de acidentes de trabalho verificados anualmente no nosso país, é importante a conscientização de empregados e empregadores para adequação do meio ambiente de trabalho, buscando assim evitar novos acidentes e doenças ocupacionais. Devemos mostrar ao trabalhador a importância da prevenção, de primar pela sua saúde e segurança. As doenças ocupacionais são silenciosas, e podem demorar meses, até anos para se manifestar. Saúde é o nosso maior bem e devemos primar por ela”, disse Marcela.

Fonte: Governo da Paraiba

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bate-Papo Saúde e Segurança do Trabalho - Nivaldo Barbosa e Convidados - 2017

Imagens de tema por Bim. Tecnologia do Blogger.